Eclesiastes

06/07/2010 11:33

 

Eclesiastes

Chave:

SÍNTESE E AUTOR

Quem é Eclesiastes? A palavra significa "homem de assembléia", podendo ser o homem que convoca uma assembléia religiosa (Números 10:7), ou aquele que é seu porta-voz ou pregador. Nosso porta-voz não é um sacerdote que fizesse uso da lei, nem um profeta que fizesse uso da palavra, mas um sábio que fazia uso do conselho (Jeremias 18:18), grande parte de cuja obra se assemelha ao livro dos Provérbios.

De 1:1 se deduz geralmente que se trata de Salomão, o primeiro dos sábios de Israel (12:9, 11; também I Reis 3:12; 4:29-34); pelo menos, pensava-se que parte do livro refletia as experiências do Sábio.

Entretanto, poderíamos perguntar se Salomão, o terceiro rei de Israel, empregou alguma vez em sua história o tempo gramatical pretérito para dizer: "Fui rei sobre Israel em Jerusalem" (1:12). Teríamos confessado, como ele o fez, que a sabedoria "ainda estava longe de mim"(7:23)? Quando este pregador escreveu? Evidentemente, quando a nação de Israel vivia angustiada sob o jugo do opressor (possivelmente a Pérsia, entre os anos 444 e 331 a.C.) Onde? Perto da casa de Deus (5:1). Os conhecimentos do mundo demonstrados no livro poderiam ter sido adquiridos ali mesmo em Jerusalém.

A quem se dirige o livro? Embora escrito em hebraico, os traços distintivos de Israel são poucos. Nunca se emprega o nome de Deus associado com o concerto ou aliança; Israel é mencionado uma única vez. O autor fala aos filhos dos homens, e por fim à humanidade toda. Apontado para a estultícia natural do homem e sua ignorância, prepara o caminho para a sabedoria e para a luz do evangelho.

Por que este livro consta do cânon? Os rabinos punham em dúvida a consequência do escritor, porém o livro já figurava em suas Bíblias. Não vemos aqui um otimismo cego: existem muitíssimos problemas sérios da vida para justificar otimismo. Não vemos aqui, tampouco, um pessimismo cínico, visto que o autor é crente no Deus da justiça (8:12, 13). Temos aqui um penetrante realismo que faz frente à alegria e à fúria, aos triunfos e às derrotas, um jogo de luz e sombras, e termina afirmando que tudo é vaidade (1:2; 12:8); contudo, paradoxalmente, a vida toda do homem deve reverenciar e obedecer a Deus, uma vez que é a ele que finalmente prestaremos contas (12:13, 14).

_

W. Gordon Brown

Bacharel em Teologia

Vaidade

Enquete

Você Gostou do Nosso Site?

Sim (359)
Não (32)

Total de votos: 391

Contato

Pastor Emerson Marques Três Lagoas - MS (67) 99126-9644 (whatsapp)
Peça oração através do whats
pastoremersonmarques@yahoo.com.br